A importância do raciocínio na aprendizagem da Matemática

Fev/15

18

É logo desde pequeno que se forma o gosto pela Matemática, disciplina que provoca sentimentos extremos: ora se gosta, ora se detesta. É, portanto, comum ouvir crianças dizerem “odeio Matemática”. 

A maioria dos alunos não gosta de Matemática porque não consegue entendê-la, isto, porque não foram educados, desde cedo, a utilizarem o raciocínio matemático na resolução dos problemas.

O raciocínio matemático é a junção dos raciocínios lógico, dedutivo e indutivo. Estes três tipos de raciocínio devem ser usados como um todo para que os problemas possam ser entendidos, para que seja definida a estratégia de resolução mais adequada e finalmente para que possa ser dada uma resposta coerente ao problema.

Para contrariar a tendência de desprezo por esta disciplina tão importante, o Novo Programa da Matemática no Ensino Básico indica cinco pilares essenciais na aprendizagem da Matemática, para que as crianças comecem desde cedo a desenvolver competências para “perceber” Matemática, entre os quais, o desenvolvimento do raciocínio matemático. Com este programa polémico pretende-se que as crianças comecem, desde o primeiro ciclo, a desenvolver as suas capacidades lógicas e a fazer deduções e induções que as possam levar à resolução dos problemas, sem sentirem grandes dificuldades.

Apesar das dificuldades sentidas, tanto por professores que têm de adaptar os seus métodos de ensino ao novo programa, como pelos pais que sentem dificuldade em ajudar os seus filhos com estas novas estratégias, esta forma de ensinar a matemática acaba por ser benéfica porque desenvolve o raciocínio lógico e dedutivo e as capacidades de generalização e abstração, desenvolvendo assim múltiplas capacidades, competências e talento, essenciais a uma integração consistente e bem sucedida no atual mercado de trabalho.

Ana Francisco - Professora de Matemática